Violência e falta de segurança em Coqueiros

Coqueiros é o bairro de Florianópolis, exuberante em sua natureza e com moradores engajados e que lutam pelo melhor para o seu cantinho, onde vivem. Mas não é sobre o que já é sabido que iremos escrever hoje.

Esse espaço serve para relatos tristes sobre a violência que o bairro de Coqueiros está presenciando dia-a-dia.

A partir de diversos relatos de moradores, iniciamos esse processo de abrir o espaço aqui do blog e do Viva Coqueiros para confissões, declarações, e análises de como iremos resolver a situação do nosso bairro.

Começamos com um relato que escutamos de uma moradora: “Os moradores de Coqueiros devem tomar muito cuidado, pois uma senhora idosa, caminhando pelas ruas, com sua bengala, pede carona para os motoristas de automóveis. Quando o carro anda, ela diz para onde quer ir, mas começa a ter uma síndrome de esquecimento, e vai levando o motorista para lugares afastados, até que chega em um local onde assaltantes os aguardam”.

coqueiros_florianopolis

Casos como esses, relatados acima, nos fizeram abrir o espaço para que os moradores que sofreram assaltos e delitos possam relatar como foi o ocorrido:

– dia da semana

– estratégia do assalto (como foi?)

– se era noite ou dia

– localização (rua)

– você poderia ter evitado o assalto ou delito de alguma forma?

– você alterou algum hábito ou atitude após o delito?

Caso você queira relatar o seu caso e não queira ser identificado, poderá nos enviar um e-mail para o floripacoqueiros@gmail.com que colocaremos no ar. Isso poderá ajudar a todos a se protegerem.

Relate aqui no blog! Deixe sua opinião e vamos continuar a Salvar Coqueiros e a proteger as pessoas do bem que aqui vivem, aos pés da sua divina natureza.

Viva Coqueiros! E deixe viver!

Florianópolis, Santa Catarina.

6 comentários em “Violência e falta de segurança em Coqueiros

  1. Bom dia! Ontem eu e meu esposo estávamos no parque de Coqueiros e ao sair, cerca de 17 horas, havia um homem próximo ao nosso veículo pedindo carona para a esposa e seus dois filhos. Achamos estranha a atitude de nos abordar sem a mulher estar ao lado com as crianças e a forma como falou. Receosos de ser uma “armadilha” para assalto negamos a carona e agora ao pesquisar sobre o assunto encontro casos bem parecidos com o que passamos ontem. Então, na dúvida, fica o alerta e cuidado que devemos ter constantemente conosco e com nossa família. Cuidado com caronas! Verdadeiro absurdo e descaso com as pessoas que utilizam um ambiente familiar para o lazer, porém sem nenhuma segurança!

      1. Olá! Li a matéria e acredito ser a mesma pessoa, pois ele era alto, magro, cabelos claros e aparelho nos dentes, conforme outras pessoas relataram. Nós até somos a favor das “caronas” quando elas não põem em risco a segurança de ninguém, mas dar carona a desconhecido e ainda com uma conversa mal contada é favorecer ao crime. Precisamos ter muito cuidado! Muito bom o site e as matérias abordadas. Obrigada!

  2. Quero me manifestar neste espaço e informar o que já venho informando há muito tempo a polícia militar, guarda municipal,vereador de Coqueiros e outras autoridades que grande parte destes delitos ocorrem entre 3 e 4 hs da madrugada e os infratores se escondem no prédio abandonado aqui ao lado do Posto de Saúde de Coqueiros em frente ao apto que moro. Já presenciei várias vezes eles chegando com sacolas nestes horários,avisei a polícia e nada foi feito. Eles estão muito tranquilos pois as autoridades permitem e disponibilizam um prédio público para que seja usado de moradia e depósito de furtos como esses que serão citados nesta coluna.
    É um absurdo ter que continuar convivendo com isto.
    Homero Camacho Junior.

  3. Não é de hoje que o bairro de Coqueiros sofre com essa onda de violência. No final dos anos 80 e início da década de 90, o bairro começou a sentir os efeitos da marginalidade, devido o “boom” imobiliário que assolou a região e que provocou um enorme desequilíbrio estrutural e social.
    Se o planejamento urbano tivesse sido levado a risca, esse bairro ainda teria áreas intocáveis pelo homem, porém a ganância prevaleceu o bom senso e hoje que vemos é uma comunidade insegura ou indefesa e que não pode mais usufruir das belezas naturais do local como costumeiramente fazia no passado.

Deixe uma resposta