Delegacia de Polícia Civil. Mudar ou não mudar, eis a questão

Coronel Edu C. Antines

Por Cel. Edu C. Antunes

Em 26 de janeiro do corrente, à noite, tivemos a reunião do Conselho de Segurança de Coqueiros (CONSEG-31), quando, entre diversos assuntos, foi tratada a transferência da Delegacia do bairro para outro lugar, pela falta de policiais em nossa cidade de Florianópolis.

A desativação da delegacia do bairro, segundo nos informaram, visa adequar o vazio de policiais, em virtude do considerável número de “antigos delegados” se aposentarem conjuntamente, trazendo todas as implicações administrativas decorrentes.

Embora compreendendo que as medidas atuais são fruto de uma situação inusitada e que tem por fim distribuir o pouco efetivo da melhor forma, para que possam atender a enorme demanda de delitos que se cometem diariamente em nossa cidade, fiquei deverás mais preocupado com o futuro de nossa segurança pública.

É sabido que há vinte anos o efetivo de nossas policias era praticamente o dobro do hoje existente, em detrimento da população que cresceu de forma geométrica, paralelamente com a violência do cotidiano.

Há muito tempo, em todas as reuniões do CONSEG-31, inúmeras sugestões e apreensões dos moradores do continente são apreciadas, colocadas em Ata e remetidas aos órgãos responsáveis que, com certeza, as enviam aos políticos; verdadeiros responsáveis pelos recursos e pela elaboração das leis, com vistas a proteger o cidadão da marginalidade crescente.

Comunidade de Coqueiros é Contra o Fechamento da 
Delegacia de Polícia do Bairro

Portanto não se justifica a falta de meios e de legislação adequada ao fato. Infelizmente nossos políticos, há muitos anos, deixaram de se preocupar com o item mais importante para uma sociedade viver em tranquilidade que é a manutenção permanente de sua segurança.

Era uma bomba relógio que crescia diante de todos e pouco se fez para estancar tal hemorragia social. A degradação chegou a tal ponto que hoje as polícias, responsáveis diretas pela manutenção da tranquilidade, lutam a míngua, para manter um pouco de segurança sem o respaldo dos verdadeiros responsáveis por tal situação: os políticos.

A total falta de planejamento futuro e o constante troca-troca de secretários de segurança, sem que muitos, por problemas políticos ou outros, não dão continuidade ao pouco ou nada (?) que o antecessor realizou, tem sido um dos maiores fatores para está falta de previsão. O que se vê é uma total correria para “tapar o buraco”, a cada delito que tenha maior repercussão.

Gente! Não podemos continuar a “fazer recauchutagem” permanente. É necessário que todos os responsáveis diretos pela segurança atuem de forma conjunta e incisiva, exigindo dos políticos os recursos necessários para que tenhamos a segurança que todos queremos e que eles sejam proporcionais a enorme gama de impostos que nos são extraídos com fórceps diariamente e parte dele impunemente desviada para escusos fins.

A tentativa de tirar a delegacia do bairro de coqueiros, mesmo sendo uma medida de extrema emergência, não pode ser aceita por todos os moradores, visto o crescimento vertiginoso do bairro de Coqueiros e adjacentes, com o consequente aumento da violência.

Delegacia de Policia Civil de Coqueiros Florianopolis

Os políticos que tratem de resolver este problema, pois já estão sendo cobrados pelo descaso de anos com a segurança. Até porque o que se vê de falcatruas neste país é algo tenebroso.

Segurança, meus senhores, é vida humana; não uma mera estatística.

“Investir em segurança não é cumpri a Legislação é antes de tudo preservar o ser humano, sem isso não há nada.” (Luiz Valter)

 – Cel. Edu C. Antunes

É permitida a reprodução total ou parcial deste conteúdo desde que preservadas as fontes.

Deixe uma resposta