Polêmica em Coqueiros: ciclofaixa aos domingos X ciclovia definitiva

Os moradores do bairro de Coqueiros, em Florianópolis, acordaram hoje com a pintura da linha vermelha que divide as pistas das avenidas principais, as que cruzam o bairro em sua extensão.

Ciclovia Coqueiros Florianópolis

 


Contra a ciclovia definitiva em Coqueiros

De um lado, estão os moradores que não são favoráveis a implantação de uma ciclovia definitiva, aberta todos os dias da semana, 24h, pois Coqueiros já enfrenta engarrafamentos constantes.

Engarrafamento em Coqueiros


A favor da ciclovia definitiva em Coqueiros

De outro lado, estão os moradores que justificam que a ciclovia definitiva desafogará o trânsito, fazendo com que as pessoas deixem os carros nas garagens e adquiram o hábito de andar de bicicletas.

ciclofaixa_coqueiros_floripa

A Pró-Coqueiros informou que solicitou uma reunião com a Secretaria Municipal do Continente para discutir a melhor solução para esse caso, mas o encontro ainda não tem data marcada.

Enquanto isso, conversamos com alguns moradores, hoje pela manhã, e a pergunta de todos era: Coqueiros continuará com a ciclofaixa somente aos domingos, ou terá uma ciclovia definitiva?

Ciclovia X Ciclofaixa em Coqueiros Florianópolis

 

Convocamos os moradores para comentar aqui no blog sobre o assunto: você é a favor de que seja implementada uma ciclovia definitiva, ou é melhor que Coqueiros continue somente com a ciclofaixa aos domingos?

Participe! Dê a sua opinião!

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Curta nossa página no Facebook

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui.

É permitida a reprodução total ou parcial deste conteúdo desde que preservada a fonte e seu link seja ativo: http://www.vivacoqueiros.com

27 comentários em “Polêmica em Coqueiros: ciclofaixa aos domingos X ciclovia definitiva

  1. Acho um absurdo, precisamos acabar com essa mania de paliativos para tudo. O IPVA foi criado p/os veiculos circularem e estacionarem nas vias publicas … etc.

  2. Meu sonho sempre foi morar no bairro e, com muita luta, realizei este desejo há alguns anos e me preocupa alguns encaminhamentos que vejo para o local. Uma ciclovia 24h nas condições que se configura hoje é completamente inviável para o bairro. Não se esqueçam que o bairro para sobreviver, necessita de investimentos comerciais e isso, vem crescendo gradativamente. É só observarem o grande número de estabelecimentos comerciais que estão abrindo. Quem fala sobre bicicleta se tornar meio de transporte padrão do bairro, pensa que é só montar no selim e sair pedalando. E o grande número de idosos (e não são poucos), pessoas com necessidades especiais e afins que precisam do veículo para locomoção? Onde estacionam? O comércio precisa do movimento para sobreviver. A ideia mais bacana que vi aqui foi a ciclovia suspensa. Não estou advogando em causa própria, pq meu trajeto profissional é no fluxo contrário,mas sou do coletivo e penso no todo.

  3. Uma sugestão para a Prefeitura: façam um deck contornando toda a região com uma ciclovia permanente para as bikes sobre o mar. Vai ser lindo, um deck contornando toda a orla, do abraão ao estreito. Vai ter custo, claro, bem mais caro que pintar uma faixa e perturbar a vida de todo mundo. Mas o aumento do nosso IPTU foi substancial, os cofres podem arcar com esta despesa. Nunca paguei um IPTU tão caro na vida. Vejam o link:
    http://www.radarlitoral.com.br/index.php/cidades/ilhabela/1940-prefeitura-de-ilhabela-inicia-obras-do-trecho-elevado-da-ciclovia-na-orla

  4. Eu sou favorável! A via é para locomoção, não para estacionamento. É uma forma de lazer e viabiliza a apreciação turística.
    Para estacionamentos, há que criar espaço pelos próprios usuarios os estabelecimentos comerciais. Pq eles tem q ser diferentes dos prédios residenciais?
    Qto ao trânsito, há que ter um acesso alternativo pelo Abraão, via expressa duplicada!

    1. Porque a maioria dos restaurantes existentes na Via Gastronômica, aproveitaram construções já existentes, alguns até reformaram casarões, o que foi muito bom para nós, porque além de preservarem as construções, nos livrou de mais prédios de apartamentos, mais circulação de automóveis, mais moradores para uma região estrangulada pela especulação. Não tem como, por exemplo, o Zé Mané, ter espaço para estacionamento. A Via Gastronômica é muito importante para nós, valorizou nosso bairro, atrai turistas, e preservaram os imóveis. Temos que incentivar os empresários que investiram no nosso bairro. Por exemplo, o antigo restaurante chines, Lai lai, fechou suas portas, e está previsto a construção de mais espigões. Que lástima, não?

  5. A saída de Coqueiros se tornou um caos pela manhã e isso já a anos. Porém como comentaram acima, todos nós cidadãos temos o direito a pé, de bike, de carro de nos locomovermos pelas ruas. Assim sendo além de fechar as entradas para Coqueiros no período da manhã, o que já melhoraria o trânsito, sinalizar muito bem a via, e na saída da ponte dividir a via com tachão (quem vem do estreito/e quem sai de coqueiros). Há 2 possibilidades para o impasse: assim como na costeira as vias são modificadas , uma das faixas de entrada para coqueiros poderia ficar fechada com acompanhamento da polícia das 7h ás 10h da manhã, ou fechasse a ciclovia nesse período para que o fluxo não fique ainda mais comprometido! Acredito que conversando encontraremos soluções satisfatórias a todos e civilizadamente.

  6. As Vias Públicas devem ser utilizadas para o tráfego de pessoas, sejam elas pedestres, ciclistas ou motoristas, e não para estacionamento de bens PRIVADOS. Quem compra um carro não tem direito a estacionamento em local público, isso é um problema particular!
    Florianópolis precisa de mais ciclovias, assim como calçadas descentes e também ruas e avenidas.
    Já estamos, e muito, atrasados neste processo!!

    1. Atraso é não ter calçada decente para pedestre circular. Querem ciclovia? É o mesmo que mobiliar uma casa sem antes fazer o piso e pintar as paredes.

      1. da mesma forma como perde tempo para falar das ciclovias (em que muitos estão se movendo pelos seus direitos) pedestres tem que se unir e exigir que cada proprietário de imóvel adeque suas calçadas conforme regras do município. Se as regras nãos estão boas, mobilizem-se para adequá-las. Força ai…

    1. Sou favorável por uma discussão mais ampla , não se pode discutir apenas instalação de ciclovias permanentes ou só aos domingos. Isto afeta sensivelmente a circulação de pessoas de carros particulares de de serviços em geral . Instalar ciclovia sem exigir calçadas seguras , que é por onde as pessoas vão caminhar ., não dá.
      Mobilidade urbana vai nuito além de ciclovia, para mim continua sendo a velha tática de maquiar : pinta-se o asfalto não importa o que esteja por baixo ou ao lado.

  7. A quem diz q a ciclovia causa engarrafamento, pergunto, e os carros sempre estacionados naquele mesmo espaço?
    Quem fala na já existencia de bons espaços para pedalar nas proximidades, apenas enxerga a bicicleta como mero lazer. Segundo os dados do Plamus, 3.4% das viagens a trabalho, estudo, etc, sao feitas de bicicleta. Melhor infra ajuda a aumentar ainda mais esse numero, diminuindo o nr de viagens feitas de carro, a verdadeira causa dos engarrafamentos.
    Quem falou sobre como atravessar a ponte, a passarela direita da ponte pedro ivo continua liberada (enquanto recebe melhorias), e seu acesso se dá proximo ao IFSC, bem em frente de onde passa a ciclofaixa.
    Essa estrutura permanente possibilita que alguem chegue ao centro de bici, saindo do itaguaçu, em meia hora, tranquilamente.

  8. Gente, penso que a discussão não seja em torno da importância ou não de uma ciclovia. Cidades de primeiro mundo usam a bicicleta como meio de transporte, mas infelizmente Floripa, não dispõe de estrutura para isso. De que adianta ter uma linda ciclovia em Coqueiros, se no centro da cidade não tem? Vai de bike até onde? E para quem não trabalha no centro? Precisamos discutir mobilidade urbana, infraestrutura, acho o máximo sair para pedalar, mas nos horários de pico, quero ter condições de chegar a tempo no meu trabalho e sem me estressar com o trânsito. Amo meu bairro e amo minha cidade, mas não acho a questão assim tão simples de resolver.

      1. Andréia, não adianta fazer ciclovia só pra “bonito” né… Para dizer que Floripa tem e etc… Tem gente que se locomove de carro, porque não tem outra opção mesmo e aí me incluo. Neste caso, devo ser penalizada por isso? Óbvio que não, precisamos juntos chegar a uma conclusão, mas uma coisa é certa, uma pista inteira para bikes nos horários de pico, vai prejudicar o bairro. Já ficou complicado, depois que abriram a passagem lá atrás no Abraão. Eu levava 10 min de ônibus até o centro e se for de ônibus hoje, preciso sair uns 50 min antes da hora prevista. Isso é justo com quem? Se cada um ceder um pouco, não fica pesado! Vamos debater, isso é saudável…

    1. Soraia, passo por Coqueiros inteira todos os dias para ir estudar na UFSC. Demoro 50 minutos no máximo para percorrer meu trajeto, horário de pico ou não.
      O Centro da cidade é cheio de calçadões que você pode ir tranquilamente na sua bike, e tem ciclovias em locais que passam veículos com maior velocidade, como na avenida Hercílio Luz, e avenida Beiramar.

      1. Lauro, você é uma pessoa de sorte! Moro ali na região do Gourmet Burguer Market e dali, já levei mais de 1h para chegar no meu trabalho no centro. Mas como eu já disse aqui, não se trata de fazer ou não a ciclovia, Coqueiros é um bairro de mto movimento e de mobilidade complicada.Uma pena, porque é tão bonito e temos por ali: barzinhos, bons restaurantes, mercado, o visual então, nem se fala… Eu acho que a velha máxima “meu direito começa onde termina o seu” precisa ser levado em conta nesses casos. O que se observa é que a discussão é bem maior. Todos precisam se locomover bem, seja por bike, carro, ônibus ou andando…

  9. E como fica pra cruzar a ponte no horário de pico? Do lado que está a ciclovia, acho inviável. Tem que ter um mínimo de planejamento antes de fazer uma ciclovia, só pintar uma faixa na calçada não adianta. Muita gente cruza a ponte pra trabalhar, e não dá pra ir de bike porque a parte de baixo da ponte está interditada. Vai ficar difícil.

  10. Concordo com a ciclofaixa aos domingos, mas sou CONTRA a ciclovia definitiva, pois afeta de maneira negativa o trânsito do bairro. Pego 30min de fila toda manhã com as duas pistas engarrafadas, para ir até meu trabalho no centro. Imagine com ciclovia… Não acho que tenha uma justificativa para isso.

    1. Se não tiver a ciclovia no local, ele será usado para o estacionamento de automóveis, ou seja, a fila irá continuar de qualquer jeito. Então é melhor usar o espaço PÚBLICO para o livre transitar das pessoas do que para o simples estacionar de um bem PARTICULAR.

      1. Perdoe-me, mas acho isso insano. Para quem sai de Coqueiros pela manhã, não fica carro estacionado na via, depois do Clube Doze. As duas faixas ficam ocupadas por carros que seguem na mesma direção: a ponte. É gente que mora no bairro, gente que corta caminho pelo bairro e etc… Tornar uma faixa exclusiva de bikes, apenas para dizer que tem e é bacana, é cobrir um santo para descobrir outro, não concordo mesmo.

  11. Para o bem do bairro e da qualidade de vida dos moradores, espero que a ciclofaixa seja definitiva.

  12. Como assim permanente? Na minha opinião acho uma loucura termos ciclovia. Nosso bairro foi todo preparado para ter uma via gastronômica e logo no final de semana são os dias de mais movimento e o trânsito fica uma loucura, não tem espaço para estacionar e receber pessoas de outros bairros que vem nos prestigiar. Já temos uma parque lindo e maravilhoso e mais ao lado a beira mar do estreito que também é um lugar maravilhoso com muito espaço para pedalar. Nos dias de semana já é um transito parado pela manhã e isso porque nem terminaram as obras de prédios no bairro. Imagina quando todo mundo se mudar para suas novas casas e locais de trabalho!? Teremos que sair de casa às 5h da madruga para passar a ponte.

    1. Querida, a ciclofaixa não será usada somente para quem “quer pedalar”, mas para pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte do dia a dia, que é meu caso, que vou ao trabalho de bike. Quanto ao espaço para estacionar na via gastronômica, que tal usar as ruas paralelas? Aliás, se uma pista já vem sendo utilizada como estacionamento, teu outro argumento, o de ter de acordar as 5h para ir ao trabalho por conta de que se perdeu uma pista, está automaticamente derrubado.

    2. Tanto a ciclovia da beira-mar do estreito, quanto o parque de coqueiros são minúsculos, quem os frequenta reconhece a insuficiência seja para a convivência social, seja para a prática de esportes!

Deixe uma resposta