Vizinho Solidário em Coqueiros. Só a plaquinha não funciona.

Por Dalton Malucelli Jr. *

Vizinho solidário é um programa onde cada vizinho cuida de seu vizinho. A ideia é ótima, visa criar uma proteção e prevenção à falta de segurança . Me colocaram para ser o síndico desse negócio aqui na minha rua. No fundo, a comunidade de Coqueiros, em Florianópolis, sacou que os governos se omitiram e que o negócio é se virar sozinho, então resolveram se unir e agir. Afinal, se na prática já assumimos tudo mesmo, saúde e educação, por que não segurança?

Vizinho Solidário Coqueiros Florianópolis
Foto do morador Marco Antônio, da Associação dos Moradores da Praia do Bom Abrigo

Esse é um processo natural de auto preservação. O problema desta ausência do estado é que daí para surgirem seguranças particulares ou milícias é um pulinho, e aí entramos num campo perigoso e de alta nebulosidade. Mas vamos para outro lado, não o escuro da insegurança e, sim, o claro, o da solidariedade.

Na real, minha família já pratica a solidariedade faz tempo em nossa rua. Ouço algumas pessoas justificarem seu isolamento em função da insegurança, e por que não desejam ser bisbilhoteiras ou fofoqueiras, ou que não tem tempo para essas coisas. Permita-me aqui fazer um aparte, ninguém falou em investigar a vida alheia, falamos de solidariedade que, entre outros significados, leva-nos a partilhar dos mesmos interesses, no caso, qualidade de vida.

Vizinho Solidário Coqueiros Florianópolis
Reunião da AMABA – Vizinho Solidário na Praia do Bom Abrigo

Acredito que tudo faz parte natural da criação e do ambiente em que a gente cresceu. Encaro como um processo natural de convivência humana: ajudar faz bem e você não pode ficar impassível diante de uma emergência ou de um simples pedido. Mas, apesar do mérito destes programas de estímulo à união de forças, esbarra-se em dificuldades e contradições.

Então, surgem perguntas e um nó se forma em minha cabeça. Como “amigo vizinho” o senhor quer ser solidário se nunca deu um bom dia, uma boa tarde , um boa noite, nem uma olhadela, nem de soslaio?  Como será solidário se todo dia traz seu cachorro para defecar e urinar em minha calçada? Como ser solidário se você passa em frente a minha casa há mil por hora com seu carrão? Como ser solidário se sua calçada está cheia de buracos ou desníveis, uma armadilha quando nós vizinhos caminhamos sobre ela? Como ser solidário se o senhor não acondiciona corretamente seu lixo e emporcalha nossa rua? Como ser se você subtrai uma muda que plantei em meu jardim? E por aí vai, em muitas outras questões comportamentais, todas muito simples para quem é solidário, mas difíceis para quem “está solidário” por uma simples reunião ou campanha, ou por que seja um modismo vestir a camisa da solidariedade e postar uma selfie.

Vizinho Solidário Coqueiros Florianópolis
Comunidade do Bom Abrigo reuniu-se no domingo, 03/05, para um mutirão de limpeza do mato.

Aí desconfio que fica difícil, né? Mas fique tranquilo que da minha parte não vou me omitir e também não enviarei boleto de cobrança por ficar de olho em sua morada. Enviarei sim uma mensagem  – “Amigo vizinho, se estiver dentro das minhas possibilidades, conte comigo“.


É evidente, mas precisa ficar claro, que o texto acima aborda a questão solidariedade de forma geral, fruto de observações minhas e de outros que a gente vai catando aqui e ali, portanto, mesmo que alguém se identifique, não estou apontando o dedo para ninguém, não sou o inquisidor mor do bairro, longe de mim, mas busco me vigiar e não tenho problemas em receber cobranças educadas, afinal eu me cobro.


Mas agora, mudando de conversa, de vizinho para vizinhos, pois o assunto é o mesmo, o programa Vizinho Solidário, através do Conseg, está presente em Coqueiros e reúne associações de bairro, Polícia Militar, Polícia Civil e o poder público municipal, todos correndo a buscar soluções para essa difícil luta contra a insegurança. Um projeto que se faz necessário, mas enquanto continuar esse prende-e-solta a luta fica muito desigual. Para se ter ideia da gravidade, a Polícia Militar efetuou recentemente 11 prisões de indivíduos que cometeram crimes violentos aqui na região. 6 deles estão na rua. Foram na delegacia, tomaram um cafezinho, tiraram uma selfie, e a polícia foi obrigada a soltá-los por conta da legislação.

Vizinho Solidário em Coqueiros

Um deboche contra os policiais que arriscam suas vidas para capturar, ilesos, estes marginais. Falo ilesos, pois se ralar a orelha de um deles, a turma dos direitos humanos cai de pau no lombo da polícia. Aliás, só tá faltando convidar o ladrão a comparecer à delegacia e confessar, se assim desejar, seus crimes. É um deboche contra a população que é visitada várias vezes pelo mesmo marginal. Mas um fato me chama atenção: em frente à OAB. sede Beira Mar Norte. temos uma grande faixa exigindo reforma política já. Não seria mais interessante a entidade exigir uma reforma judiciária, urgente? Com a palavra, os entendidos…

Grande abraço a todos e vamos em frente, juntos, sem mesquinharias políticas por favor. Não podemos dividir o caos. Poder público e sociedade devem navegar juntos e não afundar agarrados. Coqueiros exige união, assaltante não vê cor partidária! Xô, insegurança e descaso, precisamos ocupar nosso espaço que não é só dentro de casa, é no bairro, na cidade, no país.


—> Leia a nossa apresentação sobre o Dalton aqui no blog.


Dalton Malucelli Jr.

* Dalton Heros Malucelli Jr 53 anos, morador do Bairro do Bom Abrigo desde 1970, com 7 anos de idade onde estou aqui, firme. Cursei Engenharia Agronômica, tive 15 anos de lojas de calçados e há uns 10 anos atuo na construção civil. Mas, pra falar a verdade, não estou muito interessado em mostrar meu currículo, me defino como cidadão florianopolitano, morador do Bairro de Coqueiros, em Florianópolis, mais especificamente na praia do Bom Abrigo. Sou um cidadão como outro qualquer, que busca cumprir seus deveres, mas exige seus direitos. Não sou e nem pretendo ser dono da verdade, mas o que escrevo é fruto das minhas experiências, e acredito que de muitos vizinhos já que viveram uma realidade comum. A grande questão está na maneira que cada um enxerga essa realidade, e a sua visão de solução é o que muitas vezes provoca discórdias, mas, acredito, se o objetivo for o bem comum, não existem barreiras. Portanto, não espero ser unanimidade, seria pretensão demais, mas criar a discussão, chamar a atenção para certos eventos, ser um elemento ativo na busca de soluções é dever do cidadão. Abraços a todos.

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui.

É permitida a reprodução total ou parcial deste conteúdo desde que preservada a fonte: http://www.vivacoqueiros.com

2 comentários em “Vizinho Solidário em Coqueiros. Só a plaquinha não funciona.

  1. Ótimo texto,parabéns.Realmente interessante,ninguém fala em reforma judiciária,só passa a mão na cabeça dos delinquentes,dos “excluídos pela sociedade”.Muito imposto,pouco retorno.Impostos estes que deveriam reverter em prol da mesma.

    1. Oi Ana ,minha observação vai bem nesta sua linha de pensamento…eu esperava quando vi uma faixa em frente à uma entidade que opera principalmente no campo do judiciário que sua manifestação fosse mais direta,não que não deva atuar nos outros campos ,mas seria uma forma mais efetiva de pressão e estaria em harmonia com o desejo da população. Obrigado ,um abraço e fique bem…

Deixe uma resposta