Pastor alemão ataca Poodle no Parque de Coqueiros

O Parque de Coqueiros, localizado no bairro de Coqueiros, em Florianópolis, está passando por alguns atritos que ferem os princípios da boa convivência em área pública. A convivência entre as pessoas nunca foi tão complicada quando se trata de ocupar espaços comuns, com respeito ao próximo e à natureza. Atitudes que ferem o convívio social, como casos em que imperam o senso privado ao senso público são, hoje em dia, os problemas que passam alguns frequentadores do Parque.

Um dos problemas enfrentados pelas pessoas, no Parque, é a questão de cães de grande porte e de mordedura fatal, soltos e/ou sem focinheira. Um caso recente, que foi publicado nas redes sociais, e que nos chamou a atenção, foi o ataque de um cão da raça pastor alemão a uma poodle.

cao-ataca-outro-cao-parque-coqueiros-florianopolis

A Mell é uma poodle com 12 anos de idade. Em uma manhã, estava no Parque, com sua dona, Ana, que estava sentada em um banco, perto da administração. A pet estava na guia, de costas para o estacionamento, quando chegou um pastor alemão, sem focinheira, e, por trás, atacou a Mell.

poodel-atacado-parque-coqueiros-florianopolis

Ana relatou que foi uma violência tamanha.

Não deu nem tempo de agir. A Mell foi pega por trás e o pastor a levantou com a boca, sacundindo-a, e não tinha jeito de largá-la. Por sorte, um senhor conseguiu enfrentar o cão e forçá-lo a largar a minha cadelinha.

poodle-atacada-pastor-alemao-parque-coqueiros-florianopolis

A Mell teve ferimentos profundos. Seu pelo foi arrancado junto com a pele. Ficou semanas tendo que ir ao veterinário para refazer o curativo. Por sorte, mesmo com idade avançada, ela sobreviveu.

pastor-alemao-ataca-poodle-parque-coqueiros-florianopolis

Casos como o da Mell acontecem com mais frequência do que imaginamos. No ano passado, um poddle também foi atacado por um cão da raça rottweiler e sua orelha rasgada. O cão foi tratado, mas nunca mais quis ir ao Parque. Sua dona relatou.

Estávamos sentados perto do lago, quando um rottweiler chegou por trás e pegou o meu cão, que tem 13 anos, rasgou a orelha e tentou pegar o pescoço. Depois disso, meu poodle nunca mais quis ir ao Parque.


Curta nossa página no Facebook

O que temos que pensar é que, mesmo que o Parque seja público, atitudes que colocam em risco os frequentadores devem ser evitadas. No local, há crianças e idosos que também poderão ser feridos. O bom senso dos donos deve prevalecer. Em uma manhã de final de semana, uma senhora foi derrubada, por trás, por um cão de grande porte. Como não conseguia levantar, foi ajudada pelas pessoas que estavam por perto e carregada ao carro. O resultado foi uma ruptura de ligamento.

A sugestão do Viva Coqueiros, para que a harmonia e o bom senso prevaleçam em nossos ambientes públicos, é a de que cães de grande porte sejam conduzidos com responsabilidades, respeitando o próximo. Ou seja, os cães de grande porte devem ser conduzidos em guias, e os de mordedura fatal, nas guias e com focinheira.

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui. 

É permitida a reprodução total ou parcial deste conteúdo desde que preservada a fonte e seu link seja ativo para http://www.vivacoqueiros.com

 

13 comentários em “Pastor alemão ataca Poodle no Parque de Coqueiros

  1. Acho complicado contar com o bom senso das pessoas. Neste caso o correto é estabelecer regras que protejam pessoas e animais, ou seja, cães de porte grande deve ser obrigatório o uso de focinheira. Este animal deve passear na guia, nunca solto sem o controle do dono. Se cada um cuidar com responsabilidade do seu animal, ninguém vai incomodar ou colocar em risco animais pequenos, crianças e adultos também. O respeito e a solidariedade são fundamentais para garantir o bem estar de todos. O uso do espaço público exige educação e respeito.

  2. O que são “cães de mordedura fatal” ?
    Em casos como esse é que geralmente começam as “invenções” e os mitos urbanos.
    Uma cadela poodle foi atacada por um cão que não deveria estar solto e deveria andar de focinheira. Seu proprietário deveria responder criminalmente, PONTO.
    É incrível que nessas discussões sempre surgem idéias e conceitos mirabolantes sobre as raças (Pittbul assassino, Doberman é louco, Rottweiler perigoso…) e não se debate sobre o papel do indivíduo responsável pelo animal.
    Todos os cães têm que estar “sob controle” do seu dono, não oferecer perigo para pessoas e outros animais. Se o cão não tem treinamento, ou disciplina, não pode estar em convívio urbano, seja um chihuahua, ou um Mastim napolitano.
    Nossa sociedade peca por repercutir apenas o que é superlativo:
    Os cães de grande porte….Os crimes hediondos…os roubos de grande quantias…os grandes escândalos…sendo complacentes com os cãezinhos peludinhos(e mal educados)..com as pequenas infrações cotidianas…etc.
    Deixemos os cães em PAZ e busquemos responsabilizar seus DONOS. O resultado será muito mais assertivo.

  3. A questão é de educação, civilidade, respeito ao próximo e bom-senso. Adoro animais, tenho dois cachorros e eles precisam, sim, usar guias para passear, independente de serem pequenos, grandes, dóceis ou não. Seu dono também tem obrigação de recolher as fezes de seus animais! É vergonhoso andar pelas ruas e ver que estão tomadas de fezes de cachorro porque seus donos não tem educação o bastante para recolher. Ainda pior, é a infestação dos locais públicos por carrapatos, pulgas etc, devido às fezes acumuladas nos gramados e a falta de cuidados para o controle destes insetos e parasitas. Já deixei de levar meus cães aos parques públicos porque todas as vezes que foram voltaram infestados de carrapatos. No de Coqueiros, inclusive. Moro no Abraão e por várias vezes tive que correr, literalmente, de cães que passeavam soltos pela rua com seus donos e tentaram atacar meus cães. Meu maltês chegou a ser mordido em vários locais por um daschund solto, e passou um dia inteiro tremendo de medo! Outro dia, quase fui derrubada por um labrador, e a dona achou ruim de eu reclamar por ele estar solto, dizendo que o animal “só queria brincar”. Tudo bem, será que dá pra entender que nem todo mundo gosta de animais e não é obrigado a interagir com eles; que nem todo mundo quer ser abordado por um cão na rua porque ele “quer brincar”, e que o meu cachorro não é obrigado a “brincar” com o seu na rua?!! MAIS RESPEITO, POR FAVOR!

  4. Não só os cachorros de grande porte devem andar na guia, mas como todos os cachorros! A praça é um espaço público e deve ser respeitado por todos. Há pessoas que tem medo de cachorro, crianças, que se vêem privados do uso da praça ou do parque porque as pessoas soltam os seus animais.E ainda se indagados para prende-los dizem que não precisa ter medo, que o cão é bonzinho!
    O grande problema atual, com a supervalorização e a mercantilização dos animais domésticos, é que os donos acham que todos são obrigados a gostar do seu animalzinho! Não há qualquer respeito! Acho que um dos grandes problemas da atualidade em condomínios também é a questão relativa a animais, especialmente cachorros, pela falta de bom senso e respeito dos seus donos.
    Se todos respeitassem o próximo, situações como essa não aconteceriam.

  5. O que tenho observado é que tem mais cachorros do que pessoas. Parque é para se divertir com as crianças, com os amigos etc. Se andamos desviamos dos cachorros, andar de bicicleta desviamos dos cachorros. Enfim vamos ao parque para relaxar, e não se preocupar com cachorros. Mais tarde não será um parque e sim um canil. Vamos tomar providências e proibir a ida dos cachorros.

    1. Eu acho uma afronta tentar impedir cães de ir ao parque. Em todas as cidades cães vão aos parques e praças. Não tenho nenhum problema com cães pequenos, nem meus filhos tiveram, nem meus sobrinhos. Acho que o bom senso deve prevalecer, apenas isso. Cães de porte grande podem ser perigosos, sim. Nem todos, alguns, seria bom que utilizassem as guias como forma de prevenir acidentes. E de mais a mais, temos que pensar que nem todos gostam de crianças porque são muito agitadas, gritam demais, e alguns pais permitem que deixem pacotes de biscoito espalhados na grama, restos de guloseimas que atraem ratos e baratas, lata de refrigerante e toda sorte de quinquilharias podem ser vistas no final de um domingo no Parque. Algumas quebram galhos de árvores, jogam pedras nos peixes do lago. Já vi até criança com menos de 10 anos dirigindo aquelas motos com motor, e nem por isso, quem não gosta de criança deve impedir o direito delas de usufruírem do parque. Portanto, todos tem direito, sim. Os que tem animais e os que tem crianças. Se as pessoas tiverem EDUCAÇÃO, a convivência pode ser saudável e harmoniosa. Mais respeito e amor, por favor.

  6. Eu sou curto e grosso no que digo,muito direto….. às vezes mal interpretado , mas minha opinião é que cachorro independente do tamanho,ou da docilidade tem que estar com a guia na mão do dono,não importa se é pequeno bonitinho ou grande assustador….temos crianças correndo,idosos passeando,deficientes circulando e bebês na maioria das vezes engatinhando…..as fezes desses também se torna um grande problema ao qual digamos 40/60% dos proprietários desses leva um saquinho prá recolher…..se uma medida mais rígida fosse tomada seria de grande valia….e deixo aqui bem claro que todo o brasileiro não importa o local onde está só começa a ver e respeitar as regras quando se mexe no bolso deles….lamentávelmente é talvez a única forma de repreensão que alguns entendam….

  7. Li atentamente,só não observei quais as atitudes tomadas pelos donos dos cães de grande porte? O parque é publico sim,mas tem duas vias,uma para quem quer usar como cidadão livre, correr,passear com sua familia e que não mostra perigo ,e para os que possuem cães de grande porte,esses sim,tomar todas as cautelas para não ferir e invadir os direitos dos outros.Nunca colocar a responsabilidade no seu animal que el é dócil, adestrado e calmo.Eles são seres irracionais e com instintos.

      1. Maria Cecilia,tenho um cachorro de porte médio,procuro usar bom senso e educação,o Francisco frequenta creche duas vezes por semana e procuramos não andar no parque com ele.

  8. Muito se fala sobre os cachorros grandes, mas os pequenos também vivem soltos correndo pelo parque. É um desrespeito igual. Existem pessoas com medo de cachorro.
    No final de semana que teve o boi de mamão, não pude ficar com meu filho assistindo pois havia muitas pessoas com cachorro.
    Na hora do teatro infantil a mesma coisa, cheio de cachorro. Grandes presos, pequenos soltos.
    Meu filho tem medo de cachorro, já teve a mão mordida por um de pequeno porte.

    Pior ainda, aqueles que levam o cachorro pra área do parquinho.
    Na verdade, o que deveria ser feito é uma área exclusiva, fechada com grades pros cachorros. Não o contrário!

    As coisas perderam o sentido, hoje uma pessoa com cachorro tem mais direitos que uma pessoa com uma criança.

  9. Já indaguei alguns donos de cachorros de grande porte se não deveriam estar de focinheira. A resposta é que eles não precisam, são adestrados, calmos, carinhosos, as vezes até “bobão”, sem ameaça alguma. Pena que bom senso não se encontra em capsulas nas melhores drogarias da cidade. 🙁

    1. Lis…simplesmente temos que RESPONSABILIZAR os tutores de animais. Um pet (de qualquer tamanho) lhe causou transtôrno? Registre um BO. simples assim.
      Não ví nenhum comentário sobre o post acima, sobre o que foi feito com relação ao tutor do pastor que mordeu a cachorrinha acima.

Deixe uma resposta