Tempos idos em Coqueiros: mulheres, poemas e fofocas

Encontramos Renato Schneider nas redes sociais, com seus fatos e relatos sobre a vida em Coqueiros, em tempos idos. Muitos de nossos posts foram comentados pelo Renato, com informações que permitiram a todos que os leram, saber mais e mais sobre nosso bairro.

Em um dos bate-papos, Renato nos brindou com a foto de um catálogo de letras de músicas que foram compostas para Coqueiros, promovido pela antiga Associação dos Moradores da Praia do Meio, na vigência de 1989-1991. Continue lendo “Tempos idos em Coqueiros: mulheres, poemas e fofocas”

Praia de Itaguaçu. Anos 70.

Foto gentilmente cedida por Maria Aparecida Vieira Gonçalves
Foto gentilmente cedida por Maria Aparecida Vieira Gonçalves

Praia de Itaguaçu, anos 70. Era um point e tanto!

Vejam o detalhe das toalhas na areia. Não tinham cadeiras, cangas e nem guarda-sóis. Aliás, protetor solar não rolava entre os cabeludos, morou? 🙂  Continue lendo “Praia de Itaguaçu. Anos 70.”

Uma fazenda na beira do mar de Itaguaçu

fazenda itaguaçu em 1966
Foto gentilmente cedida por Maria Aparecida Vieira Gonçalves

 

Uma fazenda na beira do mar de Itaguaçu, com águas transparentes! Esse foi um dos comentários que fizeram ao ver esta imagem. E tem mais, os relatos que se seguem, na imagem abaixo, contam a história do bairro de Coqueiros em Florianópolis.

Uma fazenda na beira do mar de itaguaçu

São muitas as histórias, que estamos buscando resgatar para que fique para sempre, para todos os que não conhecem e para os que ainda virão. Precisamos contar a nossa história, pois é somente ela que nos diferencia de outros lugares do mundo. A cultura de cada região é única, em meio a tanto produto que provém da globalização. Então, estamos solicitando a todos os leitores deste blog que enviem fotos antigas de Coqueiros  e região, com a data e um relato.

Assim, poderemos nos reconhecer hoje e sempre, através do nosso passado, de nossa história e do que trazemos na memória.

Quer enviar uma foto antiga? É só escrever para floripacoqueiros@gmail.com

Coqueiros agradece!

Tempos idos, que acordam cada vez que se olha uma imagem, um cheiro, um som ou um sonho.

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Brasil

Quer mais memória?

Coqueiros em 1935

Coqueiros em 1935

 

Não se parece em nada com o que vemos hoje. Sim, outro mundo. Outro tudo!

Será a Praia do Meio?

O que você acha? Deixe seu comentário sobre este histórico cenário.

Tempos idos, que acordam cada vez que se olha uma imagem, um cheiro, um som ou um sonho.

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Brasil

Quer mais memória?

Outro mundo. Outro tudo. Coqueiros em 1947.

coqueiros_florianopolis_1947Foto e comentário gentilmente cedidos por Dalton Santos.

Não se parece em nada com o que vemos hoje.
A Max de Souza era uma estrada de chão batido.
Sim, outro mundo.
Outro tudo!

Tempos idos, que acordam cada vez que se olha uma imagem, um cheiro, um som ou um sonho.

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Santa Catarina

Quer mais memória?

Bruxas de Itaguaçu – a lenda

O local
Diz a lenda que as bruxas da região queriam fazer uma linda festa aos moldes da alta sociedade. O local para o encontro festeiro seria a praia do Itaguaçu, em Florianópolis, o mais belo cenário da terra.
bruxas_itaguacu__coqueiros_floripa
Foto Viva Coqueiros
Os convidados
Todos seriam convidados, os lobisomens, os vampiros e as mulas-sem-cabeça. Os mitos indígenas também compareceram, entre eles estavam os curupiras, os caiporas, os boitatás, e muitos outros.
Em assembléia, as bruxas decidiram não convidar o diabo pela razão de seu imenso fedor de enxofre e pelas atitudes antisociais, pois ele exige que todas as bruxas lhe beijem o rabo como forma de firmar seu poder debochadamente absoluto.
bruxas_itaguaçu_coqueiros_floripa
Foto Viva Coqueiros
A ira do Diabo
A orgia se desenrolava, quando surge de surpresa o diabo que entre raios e trovões, raivosamente irritado pela atitude marginalizante das bruxas, as castiga, transformando-as em pedras grandes, que até hoje flutuam nas águas do mar verde e azul da praia do Itaguaçu.
Daí o nome do lugar na língua indígena:
ITA = Pedra + GUAÇU = Grande
Placa Bruxas Itaguaçu Florianopolis
Essa placa, com a história das Bruxas, está fixada em uma das Pedras de Itaguaçu. Foto: Viva Coqueiros
A história da lenda
Gelci Coelho, o Peninha, escreveu esta lenda baseada nas histórias de Franklin Cascaes.
Quem passar pelo salão de festas das Bruxas de Itaguaçu poderá ler a historia do Peninha em uma placa de ferro, pregada em uma das bruxas (oops, em uma das pedras).
Franklin Cascaes (D), Juarez Machado e Gelci Coelho, o Peninha, na década de 70
Franklin Cascaes (D), Juarez Machado e Gelci Coelho, o Peninha, na década de 70
Quer mais bruxas?
Você poderá ver aqui também:

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui. 

Rua da Represa, em 1947. Atual Av. Tamandaré em Coqueiros

ruadarepresa_florianopolis

Foto do álbum da Sra. Zair Almeida Tibau, gentilmente cedida por sua sobrinha, Ana Alaíde Silveira Almeida Schauffert.

Essa imagem foi obtida de onde existe o viaduto sobre a Avenida Almirante Tamandaré indo até a Avenida Max de Souza. O ano é 1947 e nela aparece a famosa represa e a lagoa onde os moradores pescavam. Os mais antigos do bairro ainda chamam a Avenida Almirante Tamandaré de “RUA DA REPRESA” – Dalton Santos, morador de Coqueiros.

Curta a página do Viva Coqueiros no Facebook

Quer ver como está e como ficará o local da lagoa hoje? Veja aqui

A bucólica Praia do Bom Abrigo em 1948

Evento Social e Esportivo na Praia da Saudade na década de 50

Praia das Palmeiras em 1950

Tempos idos, que acordam cada vez que se olha uma imagem, um cheiro, um som ou um sonho.

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Brasil

Veja como era o Fedoca (By Cuca). O famoso Cantinho da Amizade.

Cantinho da Amizade

cantinho-da-amize_florianopolis_coqueiros

Lá pelos meados de 80, se chamava Cantinho da Amizade, você lembra? Hoje é o restaurante By Cuca.

Veja nossos comentários, abaixo: atenção para o primeiro músico da casa: Jose Ubirajara Santana

Comentários coletados no perfil de Maria Aparecida Vieira Gonçalves.

Tempos idos, que acordam cada vez que se olha uma imagem, um cheiro, um som ou um sonho.

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Brasil