Novo Plano Diretor: mudanças na Praça da Ilhota em Coqueiros

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

Entre um assunto e outro aqui no blog seguimos discorrendo sobre as mudanças do Plano Diretor e o impacto delas em nosso Bairro de Coqueiros, em Florianópolis.

O assunto da vez é a nossa Praça da Ponta da Ilhota. E a notícia não é boa, pois a mudança no Plano Diretor foi para pior.

A área é propriedade da União Federal e foi cedida ao município de Florianópolis para execução de praça e marina pública em decorrência de um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público, pois um morador cometeu um crime ambiental na década de 90 e, por isso,  assumiu a obrigação de construir a praça e fazer sua manutenção.

Praça Ponta da Ilhota
Imagens: Hilton Geviéski

A praça já está instalada e gradativamente vem sendo apropriada pela comunidade. Continue lendo “Novo Plano Diretor: mudanças na Praça da Ilhota em Coqueiros”

Construções X áreas verdes de Coqueiros em Florianópolis

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

O novo Plano Diretor vigente desde janeiro de 2014 trouxe muitas mudanças para nossa cidade, poucas benéficas, muitas para pior e deixou de trazer outras tantas, que eram muito esperadas, mas que não se concretizaram.

No intuito de esclarecer situações de nosso Bairro de Coqueiros, aqui em Florianópolis, faremos uma série de relatos com algumas destas mudanças.

Segundo relato sobre as mudanças do Novo Plano Diretor de Florianópolis

Passeando pelo Bairro de Coqueiros, em Florianópolis, ouvi a conversa de dois moradores que diziam o seguinte:

– Como não pode construir nada naquele terreno? Ele tem dono há muitos anos.

– Pois eu pensei que não tinha dono porque é uma área verde, respondeu o outro morador.

Este breve trecho da conversa revela o senso comum de que é possível fazer o que quiser quando determinada área tem um proprietário documentado.  Demonstra também outro entendimento corriqueiro de que as áreas verdes não têm dono.

Entretanto não é bem assim.

Todos os terrenos, inclusive as áreas verdes tem proprietários ou posseiros que podem ser particulares ou entes públicos, como o Município ou a União. Nosso Parque de Coqueiros, por exemplo, pertence à União Federal e foi cedido ao Município para ser um parque; o futuro Parque do Abraão pertence ao patrimônio do Município e da União. Já a área verde do topo dos morros entre a Praia do Meio e Vila Aparecida pertencem a particulares.

Contudo, não é porque tem dono que se pode fazer o que quiser.

A definição do que é possível construir num terreno depende primeiramente da condição ambiental da área e, posteriormente, do seu zoneamento no Plano Diretor.

Assim, as áreas protegidas pela legislação ambiental como florestas, restingas, manguezais e encostas devem ser classificadas no Plano Diretor como Área de Proteção Permanente (APP), devendo refletir este zoneamento.

Construções X Áreas Verdes de Coqueiros em Florianópolis
Manguezal de Coqueiros – área da União em parte cedida a particulares

Então, mesmo que as áreas tenham proprietários, precisam obedecer a definições da legislação ambiental e também do plano diretor.

Assim, nas áreas de preservação permanente não é possível construir nada e nas áreas de preservação limitada existem restrições, normalmente permitindo-se somente 10% de construção.

Além das áreas protegidas temos os outros zoneamentos que limitam o direito de construir. No Jardim Itaguaçu, por exemplo, na maioria das ruas é permitido apenas residências. Já ao longo da Max de Souza são possíveis construções mistas de comércio e residências que podem chagar a seis andares.

Desde a Constituição de 1988 o direito de propriedade não é absoluto e é diferente do direito de construir. A propriedade tem que cumprir sua função social definida no Plano Diretor.

Coqueiros Florianópolis Google Earth
Coqueiros, Florianópolis, imagem Google Earth

 

 

Pode acontecer de terrenos vizinhos terem valores completamente diferentes, por conta do potencial construtivo diferente. Importa dizer que o valor de mercado do imóvel varia conforme seja o seu potencial de construção.

Por isso o Plano Diretor é alvo de tantas disputas e sempre polêmico. Assim, temos que acompanhar as discussões em torno dele.

Conhecer o zoneamento permite aos cidadãos uma base legal para contestar ações e obras públicas que estejam em desacordo com os objetivos coletivos, facilitando o controle social.

Fazendo isto estamos ajudando a proteger os interesses comunitários e melhorando a vida  em nosso bairro.


 

Acompanhe também o Primeiro Relato sobre as Mudanças do novo Plano Diretor de Florianópolis

Veja a nossa Primeira Expedição nas Áreas Verdes de Coqueiros


 

Beatriz Kauduinski Cardoso

* Beatriz Kauduinski Cardoso, graduada em Ciências Contábeis pela UFSC, especialista em finanças pela FEPESE/UFSC, especialista em Gestão Urbana e Habitacional pela ÚNICA/ESAG, Mestre em Engenharia Civil pela UFSC na área de Gestão Urbana. Colaboradora da Caixa Econômica Federal desde 1989, com atuação na área de desenvolvimento urbano, especialmente em habitação. Vereadora suplente em Florianópolis, liderança comunitária do Continente e secretária da Associação de Moradores de Coqueiros. Escolheu Florianópolis para morar há 28anos, casada, mãe de 2 filhas. Morou por 3 anos em Coqueiros no início dos anos 90 e há 10 anos voltou de  vez!  Acredita nas pessoas, que cada um tem algo para contribuir com o bem de todos. Acredita na força do gesto, da iniciativa, da doação sem interesse particular. Acredita num mundo melhor! Não desiste nunca!

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

 

O Novo Plano Diretor e o seu Impacto sobre o bairro de Coqueiros

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

O novo Plano Diretor vigente desde janeiro de 2014 trouxe muitas mudanças para nossa cidade, poucas benéficas, muitas para pior e deixou de trazer outras tantas, que eram muito esperadas, mas que não se concretizaram.

No intuito de esclarecer situações de nosso Bairro de Coqueiros, aqui em Florianópolis, faremos uma série de relatos com algumas destas mudanças.

Primeiro relato sobre as mudanças do Novo Plano Diretor de Florianópolis

A primeira que trataremos é a Área Verde localizada na Avenida Engenheiro Max de Souza atrás do Posto Nienkotter conforme apontada na imagem a seguir:

O Novo Plano Diretor e o seu Impacto sobre o bairro de Coqueiros em Florianópolis
Fonte: Google Earth

Esta área no Plano Diretor antigo constava como Área Verde de Lazer (AVL) e, no Novo Plano, foi alterada para uma Área Residencial Predominante 2,5 (ARP-2,5) e na sua testada como Área Mista Central 6,5 (AMC-6,5). Continue lendo “O Novo Plano Diretor e o seu Impacto sobre o bairro de Coqueiros”

Renovação

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

Na semana passada, cheguei em casa e encontrei minha secretária do lar, a Tânia Tanica, como a chamamos lá em casa, pendurada numa escada, tirando as cortinas. Ela me disse:

– Vamos preparar a casa para o Natal!

Desde que trabalha comigo há mais de 10 anos este ritual se repete, e uma tradição de minha família, que já estava um pouco esquecida, foi novamente trazida para nossa casa por ela. A cada final de ano preparamos a casa, lavamos tapetes e cortinas, limpamos gavetas, arrumamos armários e deixamos tudo limpo e cheiroso esperando o Natal e o Ano Novo.

Rodrigo-de-Haro-Narrativas
Rodrigo de Haro – Narrativas

Continue lendo “Renovação”

Vida no bairro de Coqueiros. Confraternizar, partilhar e melhorar

Por Beatriz Kauduinski Cardoso

Minha filha está iniciando sua vida profissional num estágio que começou há apenas 4 meses. Este final de semana ela foi à festa de final de ano dos empregados da empresa. Perguntei como foi o dia festivo com os colegas e ela me respondeu:

Foi bom, conversei com o pessoal do design e perdi o medo deles!

Ela se referia a colegas de outro departamento a quem prestava serviços e ainda não conhecia muito bem. Eu achei graça da resposta tão natural e disse a ela:

A partir de agora você os verá com outros olhos e eles também tratarão você de forma diferente. O papo descontraído na festa abre as portas para a aproximação e para a melhoria do relacionamento no trabalho. Na segunda-feira você não terá mais medo!

Comentei com ela sobre a importância do bom relacionamento com os colegas e como os momentos de confraternização são propulsores de melhorias no trabalho. Nestes momentos um pouco mais relaxados, como o cafezinho por exemplo,  os colegas podem trocar idéias sobre determinados projetos, sobre questões pessoais e conhecer melhor as pessoas com as quais convivem. O legal é que as opiniões são mais espontâneas do que em momentos formais e propiciam a abertura para a criatividade e o bem estar pessoal.

Muitas empresas estão investindo para tornar o ambiente de trabalho mais agradável para seus funcionários, com salas de relaxamento, sala de jogos,  wi-fi, sala de ginástica, biblioteca, dentre outros, pois acreditam que assim podem melhorar o clima e  obter  melhores resultados. As pessoas ficam bem, a empresa vai bem.

Fazendo um paralelo com nossa comunidade do Bairro de Coqueiros, em Florianópolis, lembrei dos vários grupos constituídos por aqui: o pessoal da academia, igreja, comércio, escola, ciclistas, caminhadas no parque, aulas de arte, surfistas e a associação de moradores. Como seria importante que todos interagissem mais!

Confraternização na Paróquia Nossa Senhora do Carmo no bairro de Coqueiros, em Florianópolis
Foto Viva Coqueiros

 

Constato o quanto os relacionamentos são importantes para os moradores e para as melhorias que estamos conquistando para o nosso ambiente comunitário.

Feira Bairro de Coqueiros em Florianopolis
Foto Viva Coqueiros

 

Assim como as empresas, precisamos também de mais investimento para tornar nosso bairro mais agradável e propício ao encontro: mais praças, ampliação do Parque de Coqueiros, calçadas acolhedoras, trânsito mais amigável, locais próprios para reuniões,  incentivo  à participação da população nas decisões públicas.

Então devemos continuar lutando por isto, pois não resta dúvida que para alcançarmos a cidadania e a qualidade de vida que tanto almejamos é preciso ampliar as relações, interagir com o outro sempre, confraternizar e comemorar.

Comunidade no Parque de Coqueiros em Florianopolis

O final de ano é o momento oportuno quando recebemos muitos convites. Aceite e participe!  Vamos aproveitar para agradecer, relaxar,  ter novas idéias.

O Blog Viva Coqueiros é importante neste processo, pois facilita a comunicação e aproxima as pessoas. Por este ambiente virtual também podemos interagir e confraternizar. Basta curtir e compartilhar muuuuuuito!!

Os moradores ficam bem, o bairro vai bem.

Boas festas coqueirenses!

Viva Coqueiros


 

Beatriz Kauduinski Cardoso

* Beatriz Kauduinski Cardoso, graduada em Ciências Contábeis pela UFSC, especialista em finanças pela FEPESE/UFSC, especialista em Gestão Urbana e Habitacional pela ÚNICA/ESAG, Mestre em Engenharia Civil pela UFSC na área de Gestão Urbana. Colaboradora da Caixa Econômica Federal desde 1989, com atuação na área de desenvolvimento urbano, especialmente em habitação. Vereadora suplente em Florianópolis, liderança comunitária do Continente e secretária da Associação de Moradores de Coqueiros. Escolheu Florianópolis para morar há 28anos, casada, mãe de 2 filhas. Morou por 3 anos em Coqueiros no início dos anos 90 e há 10 anos voltou de  vez!  Acredita nas pessoas, que cada um tem algo para contribuir com o bem de todos. Acredita na força do gesto, da iniciativa, da doação sem interesse particular. Acredita num mundo melhor! Não desiste nunca!

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis. Santa Catarina

Fazer a diferença todo dia

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

Outro dia conheci uma pessoa na fila do banco e foi afinidade à primeira vista. Em poucos minutos conversamos amenidades, falamos sobre a correria do dia-a-dia, a educação dos filhos e o trânsito. Apesar de não tê-la encontrado mais, naquela pequena conversa, tive um grande aprendizado que levo sempre comigo.

Ela me disse que, todos os dias, procurava fazer a diferença para alguém para que sua vida tivesse sentido.

Fotos Coqueiros Florianopolis
Foto de Maiza Lima, moradora de Coqueiros

Depois de ouvir isso fiquei refletindo a respeito daquelas palavras e imaginei que viver desse jeito deveria realmente deixar a gente mais realizado, pois sempre que um próximo fica feliz por uma ação pela qual somos responsáveis, a repercussão imediata é também nos contagiarmos por um sentimento de satisfação. Continue lendo “Fazer a diferença todo dia”

Cacarecos, desapego e cidadania

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

A Feira do Cacareco é uma marca registrada do pessoal da Praia do Campeche, que compartilhou a idéia com os moradores de Coqueiros possibilitando a realização da 1ª. Feira de Cacareco do Bairro de Coqueiros, em Florianópolis.

A proposta é reciclar ao invés de jogar no lixo, economizar os recursos da natureza e incentivar o desapego, por meio de um encontro da comunidade, onde as pessoas trocam objetos que não querem mais para si, mas que pode se útil para outro. Continue lendo “Cacarecos, desapego e cidadania”

Pensar globalmente e agir localmente

Lema do ambientalismo em Coqueiros, bairro de Florianópolis

Por Rodrigo Kiko Bungus Ferreira *

Esse é o lema do ambientalismo e ele serve como uma luva pro tipo de comportamento que nós enquanto cidadãos temos que ter pra promover de forma gradual e eficiente as melhorias que nossa sociedade precisa realizar na promoção do bem estar comum.

Esperar que os políticos na ponta da pirâmide do poder tomem todas as decisões e providências pra promoção do desenvolvimento social e crescimento ordenado e ambientalmente equilibrado é praticamente uma utopia. Se não começarmos, aqui mesmo no nosso bairro de Coqueiros, a fazermos nosso papel no processo, estaremos apenas agindo como crianças mimadas que choram por não fazerem o que queremos.

Moradores de Coqueiros cuidam dos canteiros públicos na Avenida Almirante Tamandaré em Coqueiros, bairro de Florianópolis

Temos um importante papel construtivista na sociedade e cada um de nós é um elemento importante nesse processo, se passarmos a agir como formigas que trabalham em conjunto pro bem comum, cada um apoiando o trabalho do outro.

Eu tento fazer meu melhor pra servir de exemplo pro meu filho e muitas vezes ainda sou criticado por “querer aparecer”, me “achar o bonzão” ou ter ambições políticas. Confesso que em um primeiro momento é desanimador e revoltante, mas eu sei que na verdade é só um reflexo de uma sociedade acostumada a exigir o máximo e fazer o mínimo.

Passeata Coqueiros Florianopolis
Kiko na Passeata da Cidadania no Parque de Coqueiros

Um bom primeiro passo é recolher seu lixo, separar os recicláveis pra coleta seletiva que passa 2 vezes por semana no bairro e, se der, de vez em quando plantar uma árvore.

Se for demais, já fica de bom tamanho parar na faixa de pedestres e deixar a vaga pra idosos e deficientes pra quem realmente precisa.

Faixa de Pedestres Coqueiros Florianópolis
Cidadania em Coqueiros: Quem é Daqui Faz Assim

Um dia a gente aprende!

 

rodrigo-kiko-bungus-ferreira

* Rodrigo Kiko Bungus Ferreira é manezinho nascido na Carlos Corrêa em 1968, morador da Rua Bento Góia em Coqueiros, Florianópolis, no tempo que o bairro tinha muito mais ruas de chão do que pavimentadas, muito mais áreas verdes do que construídas e as águas das baías eram limpas. Biólogo formado em 98 na UFSC, surfista há 34 anos, fabricante de pranchas de surf há 26 anos, viajante desde 94, ambientalista, fotógrafo e empresário do ramo da gastronomia. Luto por tudo que amo, e tenho a total certeza de que a educação, a conscientização e os bons exemplos são os melhores caminhos pra fazer um mundo melhor pra todos.

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Tem um exemplo de cidadania aqui em Coqueiros?

Envie seu relato com fotos para floriapacoqueiros@gmail.com

Quer pagar em real ou em cocos?

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

Aqui no Bairro de Coqueiros, em Florianópolis, existe uma iniciativa nas redes sociais que visa incentivar o comércio local e tem como chamada: “Comprar em Coqueiros poupa tempo e combustível – Valorize o comércio do nosso bairro”.

Esta proposta de valorização da economia local pode ser o início de uma rede de economia solidária em nosso bairro com vistas a consolidar nossos empreendimentos locais.

A economia solidária vai muito além do incentivo do consumo solidário local, consiste numa proposta de mudanças nas relações interpessoais e com o meio ambiente, baseada na cooperação, preservação dos recursos naturais, não exploração dos trabalhadores e consumidores e responsabilidade com a comunidade local onde o empreendimento está inserido.

A construção de uma rede solidária se justifica se estiver ligada ao desenvolvimento local nos aspectos econômicos, sociais e ambientais. O conceito de freguês ou cliente  é substituído pelo conceito de parceiros.

Este modelo pode ser viável como demonstra a experiência do Banco Palmas que é um banco comunitário brasileiro, fundado em 1998 no Conjunto Palmeira, um bairro de 32.000 habitantes localizado na periferia de Fortaleza – Ceará.

Banco Comunitário
Imagem: Instituto Banco Palmas

A moeda social do Banco Palmas é a “palma”. Uma unidade de moeda local é igual a um real, e ambas as moedas podem ser trocadas livremente a qualquer hora. Incentivos locais para comerciantes e consumidores existem para usar a moeda local como, por exemplo, a oferta dos descontos aos usuários.

Banco de Palmas
Imagem: Banco Palmas

Dito isto vamos imaginar a implantação de um modelo parecido aqui em Coqueiros.

Nossa moeda poderia se chamar “coco”. Então, a cabeleireira pegaria um empréstimo em cocos e montaria seu salão, atenderia clientes e receberia em cocos. Com os cocos recebidos ela pagaria seu empréstimo e iria ao restaurante do bairro pagando em cocos. O dono do restaurante, por sua vez, faria as compras no mercadinho local e repassaria os cocos ao dono da mercearia que repassaria para seus empregados ou para fornecedores e assim por diante.

Coqueiros Bairro Florianopolis
Foto: Viva Coqueiros

 

Estaria instituída uma moeda social que visaria, sobretudo, tornar os empreendimentos locais sustentáveis. Para estimular o consumidor, os preços em coco poderiam ser reduzidos, com um desconto, por exemplo, para quem pagasse em coco ao invés de real.

Coqueiros FlorianópolisAlém de fazer com que os moradores priorizassem o consumo no próprio bairro, esta opção contribuiria inclusive para os problemas de mobilidade já que os deslocamentos de carro tenderiam a diminuir. Também estreitaria as relações entre os moradores contribuindo para a boa convivência e para melhores condições de segurança e para o fortalecimento das relações comunitárias.

Imaginem o coco circulando em nosso Bairro de Coqueiros e os moradores chegando na farmácia e perguntando: – Quantos cocos pagarei por este remédio? Ou então a dona da loja de roupas respondendo: – Esta peça custa 100 reais ou 90 cocos. Com qual moeda você prefere pagar?

Mais informações

Beatriz Kauduinski Cardoso
* Beatriz Kauduinski Cardoso, graduada em Ciências Contábeis pela UFSC, especialista em finanças pela FEPESE/UFSC, especialista em Gestão Urbana e Habitacional pela ÚNICA/ESAG, Mestre em Engenharia Civil pela UFSC na área de Gestão Urbana. Colaboradora da Caixa Econômica Federal desde 1989, com atuação na área de desenvolvimento urbano, especialmente em habitação. Vereadora suplente em Florianópolis, liderança comunitária do Continente e secretária da Associação de Moradores de Coqueiros. Escolheu Florianópolis para morar há 28 anos, casada, mãe de 2 filhas. Morou por 3 anos em Coqueiros no início dos anos 90 e há 10 anos voltou de  vez!  Acredita nas pessoas, que cada um tem algo para contribuir com o bem de todos. Acredita na força do gesto, da iniciativa, da doação sem interesse particular. Acredita num mundo melhor! Não desiste nunca!

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui. Todas as segundas, a coluna da Beatriz estará na ativa, para falar de Coqueiros e região, e de temas diversos sobre a nossa vida.

Como é bom viver em Coqueiros

Por Beatriz Kauduinski Cardoso *

 

Via Gastronomica Coqueiros Florianopolis
Foto: Viva Coqueiros

 

Nossa vida aqui em Coqueiros, bairro de Florianópolis, é boa e peculiar. Apesar de já sofrermos com os problemas urbanos modernos é agradável morar aqui, pois temos situações semelhantes ao que ainda se vive nas cidades pequenas. Continue lendo “Como é bom viver em Coqueiros”