Mery Rangel e as dificuldades de trafegar por Coqueiros

Por Luciana Manfroi

Andar pelas ruas de Coqueiros, bairro de Florianópolis, está virando uma aventura para todos. Buracos, falta de sinalização, calçadas em desníveis e outros tantos problemas que enfrentamos no nosso dia a dia. Os riscos de tropeçarmos e cairmos é constante, de calçada em calçada, na maioria da extensão das avenidas principais. Agora, imaginem o risco que os idosos, as pessoas que levam bebês em seus carrinhos e os deficientes visuais e físicos encontram.

Conversamos com Mery Rangel, e ela nos contou sobre as dificuldades que encontra em trafegar com sua cadeira de rodas, e os principais problemas que enfrenta nas ruas e calçadas de Coqueiros.

Mery Rangel e as Dificuldades de Trafegar pelas Ruas e Calçadas de Coqueiros
Mery Rangel no Parque de Coqueiros. Foto: Viva Coqueiros

As maiores dificuldades

Viva Coqueiros! Quais são as maiores dificuldades que você encontra ao trafegar com a cadeira de rodas nas calçadas de Coqueiros?

Mery Rangel: O problema é que não existem calçadas para cadeirantes, idosos e carrinhos de bebês.  Não existem calçadas para podermos andar tranquilos e com segurança. Com isso, tenho que trafegar no asfalto, junto aos carros, correndo todos os tipos de riscos. Muitas vezes, motoristas de ônibus e de carros fazem sinais com as mãos, dizendo que meu lugar é na calçada. Eu fico indignada porque eu adoraria dizer a eles para sentarem na cadeira e tentarem andar nas calçadas: se conseguirem, eu nunca mais saio das calçadas!

Os impedimentos físicos, mentais, intelectuais ou sensoriais de uma pessoa se constituem em deficiência quando a sua interação com o ambiente forma barreiras que impossibilitam a sua participação plena na sociedade. Para que o ambiente social, político e econômico inclua essas pessoas de maneira efetiva, surgem os direitos das pessoas com deficiência, que visam garantir as condições necessárias de igualdade e acessibilidade para as pessoas com deficiência (PcD).

Politize, 2021.

Assista ao vídeo sobre Direitos das pessoas com deficiência: o que são? 

Viva Coqueiros! Você tem que planejar a rota que irá fazer para evitar calçadas e ruas que são difíceis para se trafegar com cadeira de rodas?

Mery Rangel: Com toda a certeza, tenho minhas rotas para poder andar pelo meu bairro.

Viva Coqueiros! As pessoas do bairro prestam ajuda quando necessário?

Mery Rangel: Sim, sempre que preciso aparece uma boa alma para me ajudar.

Foto: Viva Coqueiros
Mery Rangel. Foto: Viva Coqueiros!

Os maiores riscos

Viva Coqueiros! Quais são os maiores riscos que você enfrenta?

Mery Rangel: O maior risco é ter que dividir o asfalto com carros, ônibus, motos e bicicletas. E quando teimo em andar em alguma calçada que tem buracos, rachaduras, etc. Sempre que faço isso, acabo quebrando ou estragando algo na minha cadeira, e para arrumar é um verdadeiro tormento porque as peças são caras e eu nunca tenho condições de comprar.Calçadas com Lixos e Matos em Coqueiros FlorianópolisRua de Coqueiros, em Florianópolis. Foto: Viva Coqueiros!

Viva Coqueiros! O que precisa ser modificado para que você consiga trafegar sem riscos?

Mery Rangel: Calçadas sem nenhum tipo de problemas e rampa em cada começo de calçada. As poucas que tem estão totalmente detonadas. A rampa que some na calçada do outro lado da Mercearia Vó Marcília – esses dias teimei em tentar subir por ali, a cadeira quase tombou para o lado direito, bem no asfalto. Minha sorte é que tem uma placa, e eu me agarrei e consegui sair daquela situação. Meu coração quase saiu pela boca. Depois disso, nunca mais, agora ando só no asfalto.

Mery Rangel - Dificuldades de Trafegar pelas Ruas e Calçadas de CoqueirosMery Rangel. Foto: Viva Coqueiros!

Mery Rangel: Outro problema que enfrento é na rua onde moro, Professor Bayer Filho. Em quase todas as ruas de Coqueiros foi realizado o tal “tapete preto”, na gestão do Dario Berger. Só a minha rua é que não asfaltaram. É toda de lajota, e o que tem de buraco, desnível e lajotas fora do lugar, não é fácil. E para complicar um pouco mais a minha situação, eu tenho que percorrer toda a sua extensão, pois moro na última casa da rua.

 


No mundo todo, as pessoas com deficiência encontram problemas em suas rotinas e tarefas, que são provindas de barreiras que inibem ou impossibilitam sua locomação.

A situação atual das pessoas com deficiência no mundo

Para se analisar mais dados relativos aos conteúdos veja os resultados de pessoas com deficiência em âmbito mundial, onde constam as pesquisas da Organização das Nações Unidas, ONU Mulheres, Organização Internacional do Trabalho, dentre outras.


Fonte: Politize, 2021.

Já, a Agenda 2030 da ONU tem um mote que relaciona todos os seus 17 objetivos em que 10º Objetivo é a “Redução da Desigualdades: reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles”. O slogab é Não deixe ninguém para trás. Sob essa proposta, faz-se jus a que todos são incluídos no mundo que é de todos.

ONU, Agenda 2030.

Ao embarcarmos nesta grande jornada coletiva, comprometemo-nos que ninguém será deixado para trás. Reconhecendo a dignidade da pessoa humana como fundamental, queremos ver os Objetivos e metas cumpridos para todas as nações e povos e para todos os segmentos da sociedade. E faremos o possível para alcançar, em primeiro lugar, aqueles que ficaram mais para trás. (Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, 2021)

Organização das Nações Unidas, Agenda 2030.

A fim de concluir, mesmo que ainda muito deva ser realizado quanto às questões sobre as dificuldades que as pessoas com deficiência encontram, sugiro o acesso aos materiais que seguem, com importantes fontes de pesquisa.

Referências

Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável | As Nações Unidas no Brasil. Disponível em https://brasil.un.org/pt-br/91863-agenda-2030-para-o-desenvolvimento-sustentavel

Biblioteca Virtual de Direitos Humanos da USP – Programa de Ação Mundial para as Pessoas Deficientes – 1982 | Direito dos Portadores de Deficiência. Disponível em https://bit.ly/2ZLycrE

BRASIL. Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável | As Nações Unidas no Brasil Disponível em https://brasil.un.org/pt-br/91863-agenda-2030-para-o-desenvolvimento-sustentavel

BRASIL, Decreto 6949/09 | Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Disponível em https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/818741/decreto-6949-09#art-5

CUNHA, Rogério Sanches; FARIAS, Cristiano Chaves de; PINTO, Ronaldo Batista. Estatuto da Pessoa com Deficiência Comentado artigo por artigo. Salvador: Ed. JusPodivm, 2016.

Instituto Rui Barbosa, 2020. IRB território: Políticas Públicas e equidade. Disponível em https://irbcontas.org.br/irb-territorio-equidade/

FILHO, R.A.C; MIRANDA, J.A.N. de. A convenção da ONU de 2006 para as pessoas com deficiência: a universalização do conceito de deficiência sob a ótica dos direitos humanos. Rev. de Direitos Humanos em Perspectiva.

GLOSSÁRIO DA DIVERSIDADE, UFSC, 2027. Disponível em https://saad.paginas.ufsc.br/files/2017/10/Glossario_versaointerativa.pdf

HANASHIRO, Darcy M. M; CARVALHO, Sueli G de. Diversidade cultural: panorama atual e reflexões para a realidade brasileira. REAd – Edição 47 Vol. 11 No. 5, set-out 2005.

POLITIZE. Direitos das pessoas com deficiência: o que são? Disponível em https://www.politize.com.br/equidade/blogpost/direitos-das-pessoas-com-deficiencia-o-que-sao/

PROGRAMA DE AÇÃO MUNDIAL PARA AS PESSOAS COM DEFICIÊCIA, 1982. Disponível em http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/24/docs/internacional_04.pdf

PwC. Pesquisa Global de Diversidade e Inclusão: Estudo plurianual 2020. Disponível em https://www.pwc.com.br/pt/estudos/preocupacoes-ceos/mais-temas/2020/pesquisa-global-de-diversidade-e-inclusao.html

SASKA, S. How to define diversity, equity, and inclusion at work. Culture Amp, 2021. Disponível em: https://www.cultureamp.com/blog/how-to-define-diversity-equity-andinclusion-at-work/

SNR (1995), Normas sobre Igualdade de Oportunidades para Pessoas com Deficiência (tradução e adaptação portuguesa do documento na ONU), SNR, cadernos n.º 3, Lisboa.

UNESCO: Inclusão, equidade e desigualdades entre estudantes das escolas públicas de ensino fundamental no Brasil. Disponível em https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000382175

2 comentários em “Mery Rangel e as dificuldades de trafegar por Coqueiros

  1. Lembro da Mery toda vez que tento atravessar a rua em frente ao supermercado Imperatriz ou em frente a academia Fit pois quando chego na metade do percurso já mudou o sinal. Sinaleira de bairro deveria priorizar o pedestre e não os veículos. Se fosse dessa forma os motoristas não cortariam caminho pela Max de Souza fugindo do transito da via expressa e seria muito melhor para a comunidade.

O Viva Coqueiros adoraria receber o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.