De Coqueiros à Ilha de Floripa Zininho conta sua história

Poeta Zininho dirige seu jipe de Coqueiros à Ilha de Florianópolis

Vídeo da década de 70, em que o poeta Cláudio Alvim Barbosa, o Zininho, compositor de Rancho de Amor à Ilha, o  hino de Florianópolis, dirige seu jipe pelas ruas da cidade. O vídeo inicia no Abraão, no Edifício Poeta Zininho, logo ao lado da Padaria Lisboa e da Mercearia Ori.

Em seguida, pelo caminho, passa pela orla das Bruxas de Itaguaçu, seguindo por Coqueiros em direção à Ponte e ao Centro.

A história do poeta Zininho

Enquanto dirige seu jipe, Zininho narra a sua história, desde sua infância.

Além de ser um artistas com muitas histórias, muitas delas escritas em forma de poesia, conseguimos um pouco mais de sua trajetória de vida e de artistas.

Cláudio Alvim Barbosa, o Zininho.

Nasceu em Biguaçu/SC, em 8 de maio de 1929 e faleceu em 05 de setembro de 1998. Inicialmente seria chamado Horzino, mas seu pai o registrou com o nome de Cláudio; por isso, o apelido Zininho, como ficou conhecido. Foi poeta, músico, radialista, motorista de táxi, carnavalesco e boêmio. Desde cedo mostrou seu talento musical. Aos oito anos fez sua estreia com sucesso, cantando músicas caipiras no Teatro da UBRO durante apresentação do Conjunto Demônios do Ritmo, de Waldir Brazil..

 

Aos 10, preferia ouvir rádio a brincar com os colegas. Aos 13, apaixonou-se e descobriu-se poeta, inspirado por paixões e seu amor por Ivete Vieira, mais tarde sua esposa e mãe de seus 4 filhos: Sandra, Jairo, Rose e Cláudia. Em 1947 estreou na Rádio Guarujá com o programa “Gentleman do Samba”, cantando sambas da época. Foi operador de sonoplastia e ponta nas novelas. Proprietário e motorista de táxi, adorava transportar os artistas contratados para shows. Em 1950 produziu na rádio Diário da Manhã diversos programas musicais, entre eles o Bar da Noite, que tinha como crooner a cantora Neide Mariarrosa que viria a ser a grande intérprete de suas canções.

A maioria de suas composições nasceram em mesa de bar, rodeado de amigos. Também criou vários jingles para programas de rádio e casas comerciais. Sua criação mais famosa, o “Rancho de Amor a Ilha”, criado em 1965 foi oficializado como Hino de Florianópolis, em 1968 – Fonte Cláudia Barbosa


Curta a página do Viva Coqueiros no Facebook

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui. 

 

 

Das coisas simples da vida no bairro Coqueiros

O Viva Coqueiros tem a satisfação de publicar o relato emocionante do Caio Nascimento, empresário e morador do bairro. Mais do que um bairro, Coqueiros é motivo de paixão, de união, de celebração e da sublime magia que explode em emoção nos pequenos detalhes da vida que rola por aqui.

Com vocês, o relato que recebemos do Caio.

“Sempre achei piegas observações do tipo “a beleza está nas pequenas coisas”, mas ontem tive um ótimo exemplo de que isto é a mais pura verdade. Eu e mais alguns amigos estávamos reunidos num dos ranchos de pescadores do Abraão, na região de Coqueiros, em Florianópolis, comemorando um aniversário. A cerveja artesanal era da melhor qualidade, a feijoada borbulhava e exalava o afrodisíaco cheiro dos defumados e o Barão Vermelho animava o ambiente. Infelizmente através do rádio, é claro.

Continue lendo “Das coisas simples da vida no bairro Coqueiros”

Praça da rotatória em Itaguaçu é adotada por empresa privada

 

A Praça da rotatória, localizada em Itaguaçu, na região de Coqueiros, foi adotada pela empresa Studio B Academia de Atividades Físicas. Continue lendo “Praça da rotatória em Itaguaçu é adotada por empresa privada”

Incêndio em dois bares de Coqueiros em Florianópolis

incendio-coqueiros-vento-florianopolis

Na madrugada de domingo (04), Florianópolis foi atingida por ventos de até 100 km/h. O bairro Coqueiros, localizado na região continental, sofreu pela intempérie, com a devastação de árvores e placas que tombaram. A pior situação foi a dos bares Mr. Beer e Conversa Fiada que foram devastados por um incêndio.

Nós, aqui do Viva Coqueiros, fomos procurados desde às 6h da manhã deste domingo, por moradores que estavam presentes ao local do incêndio. Aflitos e impressionados com a velocidade com que o fogo se espalhou, enviaram fotos e vídeos para o Viva.

Este vídeo dos bares em chamas foi enviado pelo morador Gabriel Valentim.

 

Curta a página do Viva Coqueiros no Facebook

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui.

 

Restaurante Mexicano Puerto Escondido é assaltado em Coqueiros

Ontem publicamos uma matéria que tinha como objetivo o de iniciar uma série de relatos sobre assaltos, violências e delitos no bairro de Coqueiros, em Florianópolis.  Finalizamos o post e recebemos a informação de que o Puerto Escondido, Restaurante de comida mexicana, aqui do bairro, foi assaltado.

puerto escondido restaurante coqueiros
Foto: Viva Coqueiros

Rodrigo Kiko Bungus Ferreira, proprietário do restaurante, publicou o ocorrido, em seu perfil do Facebook e, imediatamente, recebeu a solidariedade dos amigos e clientes.

coqueiros floripa restaurante puerto escondido mexicano

Com mais de 110 comentários, a indignação de todos foi declarada: “Muito triste essa notícia (…) pode contar comigo no que precisar. Muita força amigo! Concordo com vc e muitos aqui, que o maior culpado disso é o estado, que incrivelmente parece não levar a sério a situação de calamidade que está a segurança pública no país!“.

Minha solidariedade. Sejamos inteligentes nessas eleições, mudança já.”

Muito revoltante Kiko….nós é que temos que viver atrás das grades, pois a impunidade faz com que esse tipo de coisa continue a acontecer. Enquanto todos nós pagamos pelo que não recebemos. O Brasil é lindo demais, mas a falta de segurança, saúde, educação, saneamento, etc combinado com os altos impostos faz com que muitos queriam sair…”

Falamos com o Rodrigo, que nos respondeu sobre como foi o assalto.

Viva Coqueiros: Rodrigo, como os ladrões entraram no Puerto Escondido?

Rodrigo: Arrombaram uma janela na frente do estabelecimento e depois outra dentro dele pra entrar no bar e ter acesso a bebidas e ao caixa. Eles vieram da praia porque tava cheio de marcas de areia nas pegadas. Não tiveram a menor preocupação em não deixar digitais, tava cheio de marcas pra todo lado.

Viva Coqueiros: O que mudou na rotina de vocês, quanto à segurança, a partir desse assalto?

RodrigoHoje estão instalando 6 sensores de presença e nova central de segurança pra garantir que não entrem sem ser notados e mais uma câmera de segurança pra monitoramento remoto. Estou gastando R$ 2200,00 no novo sistema se segurança e mais e mais R$ 120,00 por mês pro monitoramento remoto. Gasto que deveria ser desnecessário mas além dos impostos tenho que pagar pra ficar protegido.

Queremos deixar registrada nossa profunda tristeza com o ocorrido com o Puerto Escondido, local agradável, com botanas (huummm) maravilhosas, e com o atendimento dos rapazes (surfistas gente boa!) tranquilo!

Se você tiver algum relato sobre assaltos, violências e delitos em Coqueiros, entre em contato com a gente! Vamos mapear locais e estratégias para ver se tem ligação, para podermos nos prevenir mais e melhor.

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

 

Beleza da natureza no amanhecer em Coqueiros

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quem mora em Coqueiros, um dos bairros mais charmosos de Florianópolis, sabe que tem a natureza como aliada. Acordar e dormir com as belezas que os dias e noites nos oferecem é uma benção. Foi assim que relatou a moradora Cleomara Anhalt, apaixonada por Coqueiros, quando registrou essas sublimes imagens de um amanhecer por aqui.

Amanhecer em Coqueiros Florianópolis

Veja você mesmo se a Cleomara não tinha razão, ao se surpreender com as belezas das imagens que capturou aqui no bairro.

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Quer mais fotos?

Fotos do alto de Itaguaçu

Praia de Itaguaçu. Anos 70.

 

Morte em Coqueiros. Prá falar da vida.

Gisele Domingues era cheia de vida. Trabalhava como atendente do Empório Granolé, que fica no Mini Shopping Chamonix, em Coqueiros, Florianópolis. Muitas vezes, fomos atendidos por ela, e o que a diferenciava era justamente

Na segunda-feira, dia 31/03, à noite, sofreu uma parada cardíaca, por conta de uma crise de epilepsia. O Samu foi acionado, e realizou diversos procedimentos, que não tiveram resultados positivos. Gisele foi levada ao Hospital Celso Ramos, aonde veio a falecer, às 0h15, de terça-feira.

Morte em Coqueiros Florianopolis

Conversamos com alguns moradores que eram atendidos por ela, e os comentários sobre a sua competência no atendimento, e alegria no trabalho foram unânimes.  Continue lendo “Morte em Coqueiros. Prá falar da vida.”

Cão perdido em Coqueiros Florianópolis

Cão perdido em Coqueiros Florianópolis

Pessoal, este cão foi encontrado próximo ao Supermercado Imperatriz de Coqueiros, em Florianópolis.

A moradora que o encontrou escreveu: Este cachorrinho está perdido e muito assustado! Está no portão da minha casa (em Coqueiros, perto do Supermercado Imperatriz). Está usando uma coleira juntamente com uma gravatinha de petshop! Dei água e comida, não custa postar aqui para ajudá-lo a encontrar o seu dono!

Qualquer informação sobre o seu dono, informem a moradora Giovanna Curi.

Compartilhem, e vamos encontrar o dono do cãozinho!

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

 

Espaço Viva Coqueiros! Eu vejo uma obra de arte, e você?

 

 

Espaço Viva Coqueiros

 

No dia 05/06/2013 estávamos no Parque de Coqueiros, pela manhã, quando passaram duas frequentadoras, apontando para o prédio desativado da Casan. Continue lendo “Espaço Viva Coqueiros! Eu vejo uma obra de arte, e você?”

Praia de Itaguaçu. Anos 70.

Foto gentilmente cedida por Maria Aparecida Vieira Gonçalves
Foto gentilmente cedida por Maria Aparecida Vieira Gonçalves

Praia de Itaguaçu, anos 70. Era um point e tanto!

Vejam o detalhe das toalhas na areia. Não tinham cadeiras, cangas e nem guarda-sóis. Aliás, protetor solar não rolava entre os cabeludos, morou? 🙂  Continue lendo “Praia de Itaguaçu. Anos 70.”