De Coqueiros à Ilha de Floripa Zininho conta sua história

Poeta Zininho dirige seu jipe de Coqueiros à Ilha de Florianópolis

Vídeo da década de 70, em que o poeta Cláudio Alvim Barbosa, o Zininho, compositor de Rancho de Amor à Ilha, o  hino de Florianópolis, dirige seu jipe pelas ruas da cidade. O vídeo inicia no Abraão, no Edifício Poeta Zininho, logo ao lado da Padaria Lisboa e da Mercearia Ori.

Em seguida, pelo caminho, passa pela orla das Bruxas de Itaguaçu, seguindo por Coqueiros em direção à Ponte e ao Centro.

A história do poeta Zininho

Enquanto dirige seu jipe, Zininho narra a sua história, desde sua infância.

Além de ser um artistas com muitas histórias, muitas delas escritas em forma de poesia, conseguimos um pouco mais de sua trajetória de vida e de artistas.

Cláudio Alvim Barbosa, o Zininho.

Nasceu em Biguaçu/SC, em 8 de maio de 1929 e faleceu em 05 de setembro de 1998. Inicialmente seria chamado Horzino, mas seu pai o registrou com o nome de Cláudio; por isso, o apelido Zininho, como ficou conhecido. Foi poeta, músico, radialista, motorista de táxi, carnavalesco e boêmio. Desde cedo mostrou seu talento musical. Aos oito anos fez sua estreia com sucesso, cantando músicas caipiras no Teatro da UBRO durante apresentação do Conjunto Demônios do Ritmo, de Waldir Brazil..

 

Aos 10, preferia ouvir rádio a brincar com os colegas. Aos 13, apaixonou-se e descobriu-se poeta, inspirado por paixões e seu amor por Ivete Vieira, mais tarde sua esposa e mãe de seus 4 filhos: Sandra, Jairo, Rose e Cláudia. Em 1947 estreou na Rádio Guarujá com o programa “Gentleman do Samba”, cantando sambas da época. Foi operador de sonoplastia e ponta nas novelas. Proprietário e motorista de táxi, adorava transportar os artistas contratados para shows. Em 1950 produziu na rádio Diário da Manhã diversos programas musicais, entre eles o Bar da Noite, que tinha como crooner a cantora Neide Mariarrosa que viria a ser a grande intérprete de suas canções.

A maioria de suas composições nasceram em mesa de bar, rodeado de amigos. Também criou vários jingles para programas de rádio e casas comerciais. Sua criação mais famosa, o “Rancho de Amor a Ilha”, criado em 1965 foi oficializado como Hino de Florianópolis, em 1968 – Fonte Cláudia Barbosa


Curta a página do Viva Coqueiros no Facebook

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui. 

 

 

Incêndio em dois bares de Coqueiros em Florianópolis

incendio-coqueiros-vento-florianopolis

Na madrugada de domingo (04), Florianópolis foi atingida por ventos de até 100 km/h. O bairro Coqueiros, localizado na região continental, sofreu pela intempérie, com a devastação de árvores e placas que tombaram. A pior situação foi a dos bares Mr. Beer e Conversa Fiada que foram devastados por um incêndio.

Nós, aqui do Viva Coqueiros, fomos procurados desde às 6h da manhã deste domingo, por moradores que estavam presentes ao local do incêndio. Aflitos e impressionados com a velocidade com que o fogo se espalhou, enviaram fotos e vídeos para o Viva.

Este vídeo dos bares em chamas foi enviado pelo morador Gabriel Valentim.

 

Curta a página do Viva Coqueiros no Facebook

Viva Coqueiros! Por inteiro.

Florianópolis, Santa Catarina.

Siga o blog do Viva Coqueiros e receba, em primeira mão, as matérias publicadas aqui.

 

Movimento Ocupa Floripa vai pras ruas

 

ocupa-floripa

#ocupafloripa

Um movimento que nasceu pela garra dos artistas de Florianópolis, e que vai às ruas mostrar a sua arte. Mais do que a mostra, o Ocupa Floripa será uma manifestação pacífica para chamar a atenção quanto à falta de investimentos na área cultural. Continue lendo “Movimento Ocupa Floripa vai pras ruas”

Espaço Viva Coqueiros! Eu vejo uma obra de arte, e você?

 

 

Espaço Viva Coqueiros

 

No dia 05/06/2013 estávamos no Parque de Coqueiros, pela manhã, quando passaram duas frequentadoras, apontando para o prédio desativado da Casan. Continue lendo “Espaço Viva Coqueiros! Eu vejo uma obra de arte, e você?”

Espaço Viva Coqueiros é rejeitado

O prédio abandonado da Casan, localizado na rua Max de Souza, em Coqueiros, Florianópolis, irá servir ao PROCON Municipal.

Prefeitura nega a proposta das associações de bairros, que limpou o local e produziu um documento com a proposta de que o espaço físico, localizado ao lado do Parque de Coqueiros, sirva à comunidade em oportunidades de convivência, lazer, cursos, cultura e arte.

A proposta das associações de bairros tem como objetivo o de destinar o prédio já edificado em área da União próximo ao Parque de Coqueiros , como equipamento comunitário destinado a atividades educacionais, artísticas, comunitárias, culturais, de convivência e de iniciação ao trabalho.

A demanda é fruto da necessidade da comunidade e objeto de diversos debates entre as lideranças do Bairro de Coqueiros que resultou em Audiência Pública promovida pela Câmara de Vereadores, realizada no dia 19/09/2013, quando ficou demonstrada a importância do equipamento e o interesse
dos moradores.

Segundo o Presidente da Associação das Praias do Meio, Itaguaçu e Saudade, Marquinhos da Silva, a situação é de tristeza, conforme relatou em seu perfil do Facebook.

casan_ampins_coqueiros_floripa

Veja a Planta do Local e o Espaço que a Comunidade Perdeu

casan_ampins_coqueiros_floripa

A atitude da Prefeitura, ao negar o espaço de convivência à comunidade de Coqueiros, mostra que nossos anseios não são prioridades. Segundo comentário de Marquinhos da Silva, o esforço das pessoas foi em vão: “Buscamos o espaço, retiramos andarilhos, limpamos o local, participamos de audiências públicas para destinar este espaço para a comunidade, biblioteca, espaço cultural, oficinas para terceira idade, cursos rápidos para profissionais como domésticas, jardineiros, corte de cabelo, pintor, encanador etc..

Precisamos nos unir, cada vez mais, para que nossa comunidade seja beneficiada conforme suas necessidades e desejos.

Tome uma atitude. Viva Coqueiros por inteiro, e comente aqui sobre esta ação da Prefeitura.

Coqueiros, Florianópolis, Santa Catarina.

Volta Pingo

procura_pingo_coqueiros_floripa

Pessoal, recebemos diversas solicitações para compartilharmos o post sobre o desaparecimento do Pingo, em Florianópolis. Esperamos que ele seja encontrado, e que esteja bem.

Abaixo, a mensagem de sua dona:

Olá, não sei mais onde recorrer, já fui em tudo quanto é lugar e não sei mais o que faço, já até mandei alguns emails para o pet news e para ric record mas não passam a fotinho dele, to sofrendo muito com a falta do meu pingo. Ele era de minha mãe que faleceu a 3 meses era o xodó dela e quando ela faleceu eu cuidei dele, não sei como ele sumiu, se fugiu ou alguém roubou, não sei como ele está se está com alguém ou perdido e isso está acabando comigo, já estou fincando doente. Talvez se alguém achar ou reconhecer em algum lugar com essas características por favor me avise, estou dando recompensa. Serei muito grata.

A página do Volta Pingo no Facebook é essa: Volta Pingo

Procura-se Pingo

Compartilhe com sua rede de amigos! Vamos encontrar o Pingo!

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Santa Catarina.

Parque de Coqueiros: lago seco e peixes cozidos

Quem passa pelo Parque de Coqueiros, e contempla sua natureza, pode notar a questão de calamidade com que se encontra o lago do Parque. Peixes agonizam com falta de água e de oxigenação na quantidade que restou.

Olhando o lago, de perto, dá para notar que os peixes que estão de um lado não podem mais passar para o outro, de tão rente que está a água com a terra.

peixes_lago_parque_coqueiros

Uma moradora diz que alimenta todas as manhãs os peixes, mas que agora eles não querem mais nem comer. Acho que eles estão morrendo, por falta de oxigênio, pois não querem mais comer. Também, outro frequentador disse que Com as temperaturas elevadas, durante dias, o que restou da água deve estar muito quente, o que faz os peixes se debaterem e pularem para fora do lago.

Na semana passada, conversamos sobre esta questão com a administração do Parque, que informou que a bomba estava quebrada já há dois dias. Passados mais de 5 dias, ainda tínhamos a esperança de chegar ao Parque e ver a bomba em atividade.

lago_parque_coqueiros_1

Todos os anos esta questão volta a tona. Na gestão passada, a Secretaria do Continente havia adquirido uma nova bomba, pois a antiga quebrava a todo momento. Agora, esta nova bomba (que tem já 2 anos) também está quebrada.

O que tem que ser revista é a manutenção do aparelho ou, também, a maneira como é guardado. Esta bomba requer limpeza após a sua utilização, pois entra muita areia da praia, que vem junto com a água do mar.

Um dos funcionários informou que conseguiu um cano com maior extensão, para puxar a água do fundo do mar, e que não tem a necessidade de aguardar pela chuva para a maré ficar cheia. Para isso, basta a bomba funcionar.

lago_parque_coqueiros_2

Será que há a manutenção e a limpeza adequada?

Estas questões devem ser revistas pela Secretaria do Continente que deve ter um olhar bem mais atento ao único Parque que tem na cidade, com um volume grande de tráfego de pessoas por dia.

Esta é a página da Secretaria Municipal do Continente no Facebook.

Viva Coqueiros!

Florianópolis, Santa Catarina.